Odonto Curiúva
Anúncio
Política

FIGUEIRA: Município assina convênio de mais de R$ 6 milhões; recursos destinados a infraestrutura urbana.

Sandro Alex, ressaltou a importância dos investimentos nos municípios do Norte Pioneiro. “O governo tem um olhar atento porque é necessária a ampliação da infraestrutura na região para trazer novas empresas, geração de emprego e renda”, completou.

09/07/2019 13h02
Por: Portal Curiúva
500
Divulgação
Divulgação

A Secretaria de Infraestrutura e Logística autorizou o repasse de R$ 12,3 milhões para a região. As obras em Ribeirão Claro e Pinhalão serão de recape asfáltico, somando R$ 2,350 milhões. Já Siqueira Campos terá R$ 2 milhões à disposição para o recape do aeródromo municipal. Figueira, por sua vez, assinou convênios na ordem de pouco mais de R$ 6 milhões, também para recape asfáltico, pavimentação e drenagem. Enquanto que Santana do Itararé aplicará R$ 1,250 milhão em recapeamento.

Nesta sexta-feira (05), em Cornélio Procópio, a pasta libera mais R$ 2,655 milhões para investimento nas cidades de Sertaneja e Leópolis. Sertaneja fica com R$ 1,680 milhão para pavimentação asfáltica de dois loteamentos importantes da cidade. Leópolis terá à disposição R$ 975 mil para recape, pavimentação e drenagem.

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, ressaltou a importância dos investimentos nos municípios do Norte Pioneiro. “O governo tem um olhar atento porque é necessária a ampliação da infraestrutura na região para trazer novas empresas, geração de emprego e renda”, completou.

Segundo Sérgio Inácio Rodrigues, prefeito de Pinhalão e presidente da Amunorpi, mesmo com apenas seis meses, esta gestão já vem mostrando uma administração do Estado diferente. “Todos os prefeitos podem tocar suas obras e administrar de uma forma tranquila”, ressaltou.

“O Norte Pioneiro é carente. Por isso digo que não são só obras, são empregos sendo gerados”, destacou Mário Pereira, prefeito de Ribeirão Claro.

FESCAFÉ – Além da homologação de obras e do repasse de verbas para investimento, a cerimônia deu da largada para a 23ª edição da Fescafé – Expo Feira da Café, Comércio, Indústria e Pecuária. O evento conta com palestras técnicas durante o dia e uma vasta programação cultural à noite, no Centro de Eventos Barão Victor von Rainer, com destaque para shows de músicos populares do país, rodeios, danças típicas e a eleição da rainha do rodeio.

Referência entre as festas do Estado, a Fescafé ampliou as opções, destinando agora uma parte do roteiro para a pecuária, além de permitir exposições de imóveis e artesanato. “É uma festa que nós iniciamos em 1997 e que só cresce”, ressaltou o prefeito de Ribeirão Claro.

CAFÉ – O Paraná fechou 2018 como o sexto maior produtor de café do País. A expectativa para este ano é que produção fique entre 1 milhão e 1,1 milhão de sacas de 60 quilos, de acordo com estimativa da Secretaria do Estado da Agricultura e do Abastecimento. A área total do Estado destinada ao cultivo do café é de 40,1 mil hectares.

Este ano a colheita começou mais cedo. Até agora foram colhidos 25.725 hectares (69%) no Paraná. Na região de Jacarezinho, onde está localizado Ribeirão Claro, palco da Fescafé, a área total de plantio é de 19,1 mil hectares. Ali já foram colhidos 14.325 hectares (75%).

Uma preocupação dos produtores é o preço do produto. Alguns cafeicultores ainda estão com parte da produção da última safra estocada à espera da recuperação do valor. O preço médio de 2018 para a saca de 60 quilos foi de R$ 407. Este ano, o preço médio está em R$ 373. Como comparativo, em junho de 2018 o preço médio foi de R$ 425, enquanto em junho deste ano ficou em R$ 375 (queda de 12%).

NORTE PIONEIRO – O Café do Norte Pioneiro foi o primeiro produto a obter o registro de Indicação Geográfica (IG) junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). A tradição e a importância do café para o desenvolvimento da região são fatores que impulsionaram essa conquista obtida já há sete anos. Os produtos com registro de Indicação Geográfica são aqueles com características diferenciadas por serem produzidos em uma região ou território específicos.

Os benefícios do registro de IG para a produção cafeeira são confirmados na prática. A atividade ajudou a desenvolver uma região inteira, no caso, todos os 46 municípios do Norte Pioneiro.

A Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento estima entre 5 mil a 7 mil propriedades de café no Paraná – 62% delas se concentram no Norte Pioneiro.

PRESENÇAS – Participaram do evento o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto; os deputados estaduais Alexandre Curi, Cobra Repórter e Mauro Moraes; o vice-prefeito de Ribeirão Claro, João Carlos Bonato; além de prefeitos, vereadores e presidentes de associações da região.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.